Ok
Notícias

Quer ganhar 1 curso de teologia grátis?
Então me chame no Whatsapp

Bolsonaro divulga texto sobre dificuldade de governar fora de conchavos: Que Deus nos ajude!

Através de grupos no WhatsApp, o presidente Jair Bolsonaro compartilhou um texto, de autoria desconhecida, revelando sofrer “pressões de todas as corporações, em todos os poderes” e dizendo que “o país está disfuncional”, mas não por sua culpa.

O texto faz também uma crítica ao presidente, dizendo que ele não teve êxito até o momento: “Até agora (o presidente) não fez nada de fato, não aprovou nada, só tentou e fracassou”.

 

Está gostando desse conteúdo?

Cadastre seu email no campo abaixo para ser o primeiro a receber novas atualizações do site.

Fique atualizado! Cadastre para receber livros, CDs e revistas promocionais.

Questionado pelo jornal Estado de São Paulo sobre essa mensagem que ele mesmo compartilhou, o presidente revelou que há muitos desafios e que ele tem se esforçado para governar.

“Venho colocando todo meu esforço para governar o Brasil. Infelizmente os desafios são inúmeros e a mudança na forma de governar não agrada àqueles grupos que no passado se beneficiavam das relações pouco republicanas. Quero contar com a sociedade para juntos revertermos essa situação e colocarmos o País de volta ao trilho do futuro promissor. Que Deus nos ajude!”, disse.

Leia o texto na íntegra:

Alexandre Szn

Temos muito para agradecer a Bolsonaro.

Bastaram 5 meses de um governo atípico, “sem jeito” com o congresso e de comunicação amadora para nos mostrar que o Brasil nunca foi, e talvez nunca será, governado de acordo com o interesse dos eleitores. Sejam eles de esquerda ou de direita.

Desde a tal compra de votos para a reeleição, os conchavos para a privatização, o mensalão, o petrolão e o tal “presidencialismo de coalizão”, o Brasil é governado exclusivamente para atender aos interesses de corporações com acesso privilegiado ao orçamento público.

Não só políticos, mas servidores-sindicalistas, sindicalistas de toga e grupos empresariais bem posicionados nas teias de poder. Os verdadeiros donos do orçamento. As lagostas do STF e os espumantes com quatro prêmios internacionais são só a face gourmet do nosso absolutismo orçamentário.

Todos nós sabíamos disso, mas queríamos acreditar que era só um efeito de determinado governo corrupto ou cooptado. Na próxima eleição, tudo poderia mudar. Infelizmente não era isso, não era pontual. Bolsonaro provou que o Brasil, fora desses conchavos, é ingovernável.

Descobrimos que não existe nenhum compromisso de campanha que pode ser cumprido sem que as corporações deem suas bênçãos. Sempre a contragosto.

Nem uma simples redução do número de ministérios pode ser feita. Corremos o risco de uma MP caducar e o Brasil ser OBRIGADO a ter 29 ministérios e voltar para a estrutura do Temer.

Isso é do interesse de quem? Qual é o propósito de o congresso ter que aprovar a estrutura do executivo, que é exclusivamente do interesse operacional deste último, além de ser promessa de campanha?

Querem, na verdade, é manter nichos de controle sobre o orçamento para indicar os ministros que vão permitir sangrar estes recursos para objetivos não republicanos. Historinha com mais de 500 anos por aqui.

Que poder, de fato, tem o presidente do Brasil? Até o momento, como todas as suas ações foram ou serão questionadas no congresso e na justiça, apostaria que o presidente não serve para NADA, exceto para organizar o governo no interesse das corporações. Fora isso, não governa.

Se não negocia com o congresso, é amador e não sabe fazer política. Se negocia, sucumbiu à velha política. O que resta, se 100% dos caminhos estão errados na visão dos “ana(lfabe)listas políticos”?

A continuar tudo como está, as corporações vão comandar o governo Bolsonaro na marra e aprovar o mínimo para que o Brasil não quebre, apenas para continuarem mantendo seus privilégios.

O moribundo-Brasil será mantido vivo por aparelhos para que os privilegiados continuem mamando. É fato inegável. Está assim há 519 anos, morto, mas procriando. Foi assim, provavelmente continuará assim.

Antes de Bolsonaro vivíamos em um cativeiro, sequestrados pelas corporações, mas tínhamos a falsa impressão de que nossos representantes eleitos tinham efetivo poder de apresentar suas agendas.

Era falso, FHC foi reeleito prometendo segurar o dólar e soltou-o 2 meses depois, Lula foi eleito criticando a política de FHC e nomeou um presidente do Bank Boston, fez reforma da previdência e aumentou os juros, Dilma foi eleita criticando o neoliberalismo e indicou Joaquim Levy. Tudo para manter o cadáver procriando por múltiplos de 4 anos.

Agora, como a agenda de Bolsonaro não é do interesse de praticamente NENHUMA corporação (pelo jeito nem dos militares), o sequestro fica mais evidente e o cárcere começa a se mostrar sufocante.

Na hipótese mais provável, o governo será desidratado até morrer de inanição, com vitória para as corporações. Que sempre venceram. Daremos adeus Moro, Mansueto e Guedes. Estão atrapalhando as corporações, não terão lugar por muito tempo.

Na pior hipótese ficamos ingovernáveis e os agentes econômicos, internos e externos, desistem do Brasil. Teremos um orçamento destruído, aumentando o desemprego, a inflação e com calotes generalizados. Perfeitamente plausível. Claramente possível.

A hipótese nuclear é uma ruptura institucional irreversível, com desfecho imprevisível. É o Brasil sendo zerado, sem direito para ninguém e sem dinheiro para nada. Não se sabe como será reconstruído. Não é impossível, basta olhar para a Argentina e para a Venezuela. A economia destes países não é funcional. Podemos chegar lá, está longe de ser impossível.

Agradeçamos a Bolsonaro, pois em menos de 5 meses provou de forma inequívoca que o Brasil só é governável se atender o interesse das corporações. Nunca será governável para atender ao interesse dos eleitores. Quaisquer eleitores. Tenho certeza que esquerdistas não votaram em Dilma para Joaquim Levy ser indicado ministro. Foi o que aconteceu, pois precisavam manter o cadáver Brasil procriando. Sem controle do orçamento, as corporações morrem.

O Brasil está disfuncional. Como nunca antes. Bolsonaro não é culpado pela disfuncionalidade, pois não destruiu nada, aliás, até agora não fez nada de fato, não aprovou nada, só tentou e fracassou. Ele é só um óculos com grau certo, para vermos que o rei sempre esteve nu, e é horroroso.

Infelizmente o diagnóstico racional é claro: “Sell”.

Autor desconhecido

Fonte: https://www.gospelprime.com.br/jair-bolsonaro-texto-brasil-ingovernavel-conchavos/


Qual sua opinião sobre esta noticia?
Deixe seu Comentário abaixo:
(*)Campos obrigatórios, e-mail e telefone não serão publicados)
Notícias de Líderes
Pastor Abílio Santana
Pastor Claudio Duarte
Bispa Cléo Ribeiro Rossafa
Pastor Marco Feliciano
Pastor José Wellington Bezerra da Costa
Pastor Josué Gonçalves
Missionário David Miranda
Apóstolo César Augusto
Pastor Julio Ribeiro
Pastor Oseias Gomes
Pastor Gilmar Santos
Pastor Hidekazu Takayama
Pastor Reuel Pereira Feitosa
Apóstolo Agenor Duque
Pastora Joyce Meyer
Pastor Billy Graham
Apóstolo Valdemiro Santiago
Pastora Helena Tannure
Pastor Elson de Assis
Pastor Márcio Valadão
Bispa Ingrid Duque
Pastor Silas Malafaia
Bispa Sonia Hernandes
Pastora Sarah Sheeva
Pastor Adeildo Costa
Pastora Bianca Toledo
Pastor Geziel Gomes
Apóstolo Renê Terra Nova
Pastor Adão Santos
Pastor Carvalho Junior
Pastor Lucinho
Pastor Aluizio Silva
Pastor Benny Hinn
Pastor Reuel Bernardino
Bispa Lucia Rodovalho
Pastor Jorge Linhares
Pastor Gilvan Rodrigues
Pastor Samuel Camara
Bispo Rodovalho
Missionário RR Soares
Pastor Paulo Marcelo
Pastor Samuel Ferreira
Pastor Yossef Akiva
Pastor Cesino Bernardino
Apóstolo Estevam Hernandes
Pastor Samuel Mariano

O Seminário Gospel oferece cursos livres de confissão religiosa cristã que são totalmente à distância, você estuda em casa, são livres de heresias e doutrinas antibiblicas, sem vinculo com o MEC, são monitorados por Igrejas, Pastores e Teólogos de Grandes Ministérios totalmente baseado na Santa Palavra de Deus, ao final você recebe DOCUMENTAÇÃO INTERNACIONAL valida no âmbito religioso.

Notícias de Cantores
Cantora Elaine de Jesus
Ministério Diante do Trono
Cantora Aline Barros
Cantora Shirley Carvalhaes
Cantora Fernanda Brum
Cantor Fernandinho
Cantora Ludmila Ferber
Cantora Karen Martins
Cantor Kleber Lucas
Cantora Mara Lima
Cantor André Valadão
Cantor Mattos Nascimento
Cantora Damares
Banda Oficina G3
Cantora Lea Mendonça
Cantora Andrea Fontes
Ministério Renascer Praise
Cantor Davi Sacer
Cantora Bruna Karla
Cantora Cristina Mel
Cantora Rose Nascimento
Cantora Cassiane
Cantora Ana Paula Valadão
Cantor Marquinhos Gomes
Cantor Regis Danese
Cantora Eyshila
Cantora Lauriete
Cantor Irmão Lázaro
Voz da Verdade
Cantora Nivea Soares
Cantora Alda Célia